quinta-feira, 12 de abril de 2012

Tem raposa cuidando de galinheiro



Por Silvano Tarantelli

Esse negócio da CPI do Cachoeira esta parecendo o caso da raposa cuidando do galinheiro. O PT e partidos da base aliada querem manter o controle da comissão para que no final as conclusões absolvam quem de seu lado está envolvido.
Querem também restringir as investigações às relações do contraventor com os parlamentares sem envolver as empresas, para livrar a cara da Delta, que detém contratos bilionários com Brasília.
Impressionante como o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, tem o seu nome associado a casos recentes de corrupção. Aliás, ô herança maldita, essa. Brasília parece um pântano e não é de agora. Acumula sujeira nos últimos governos, principalmente ao que antecede Queiroz, o de Joaquim Roriz.
Para tanto lixo não há Delta (o grupo cuida de retirar os restos do consumo dos lares brasilienses) que dê conta. Quem sabe por isso mesmo cobre tanto para cumprir o seu contrato.
A convocação da CPI foi estimulada pelo ex-presidente Lula e, segundo consta, também por Dilma. Dizem que pode ser um tiro no pé do próprio governo. Para a atual presidente, reforça o marketing que vem sendo alimentado de uma espécie de nova caçadora de marajás. Tudo mundo se lembra o que aconteceu com o original.
Dificilmente, Dilma com o prestígio de 77% do eleitorado, segundo pesquisa recente acabará assim. Mas também como assinalou o senador Delcídio Amaral (PT-MS), até parece que o Planalto trabalha para querer abaixar esses índices de aprovação.
A intenção é a CPI responsabilizar alguns personagens pinçados da oposição como o governador de Goiás, Marcondes Perillo, mesmo que signifique respingar sobre quadros do PT, num espécie de canibalismo, mas também para espiar pecados maiores, como o próprio mensalão.
Vão-se os aneis permanecem os dedos.  Como afirmou o colunista Xixo Sá no twitter, o mensalão pode não existir mas que provoca efeito no nosso bolso, isso sim.
A presidente Dilma e o seu assessor, Olavo Noleto, suspeito de envolvimento no caso.

Total de visualizações de página