sexta-feira, 20 de abril de 2012

O Poupatempo de segunda geração


Para acompanhar as mudanças tecnológicas e atender ainda melhor a população, a Secretaria da Gestão Pública do Estado de São Paulo pretende aperfeiçoar um equipamento que ainda hoje é um dos maiores exemplos de inovação no serviço público. É o Poupatempo criado em 1996, em São Paulo, pelo ex-governador Mario Covas, que reúne vários tipos de serviços em apenas um lugar, como a confecção da carteira de identidade, carteira profissional, habilitação de motorista, licenciamento de veículos, entre outros.
Um dos desafios da pasta, segundo o secretário Davi Zaia, que participou nesta quinta-feira de gravação do programa A Hora e a Vez da Pequena Empresa, do Simpi (Sindicato da Micro e Pequena Indústria) é o Poupatempo de segunda geração, que terá as mais modernas tecnologia da informação.
Com isso, será possível, afirma o secretário Davi Zaia, criar unidades menores do Poupatempo para que se possa descentralizar os serviços e abranger novas cidades, distantes dos grandes centros urbanos e até mesmo em determinadas zonas rurais.
As unidades do Poupatempo, num total de 37, oito delas na Capital, realizam aproximadamente 300 milhões de atendimentos todos os anos, ou 2,8 milhões/mês. O maior número de atendimentos acontece no Poupatempo Itaquera, na periferia de São Paulo, com uma 291 mil todos os meses.
Outro projeto do secretário é o acerto com as prefeituras para incorporar também os serviços da municipalidade e com o governo federal para oferecer também os serviços da União, nos Poupatempo.
O programa com o secretário Davi Zaia, que foi entrevistado pelo presidente do Simpi, Joseph Couri, deve ser veiculado dentro de duas ou três semanas pela Rede TV e Rede Vida, com alcance nacional.

Total de visualizações de página