sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Por falar em coisas duradouras

Por falar em coisa duradouras, não posso deixar de lembrar Cazuza: "meus heróis morreram de overdose (JJJ, Jim, Jimmy, Janis), Dean se foi cedo mas por acidente automobilístico, Elvis, mais velho, chapadão, Lenon assassinado por um idiota, "meus inimigos estão no poder"(Sarney e Maluf, ad eternun). As mudanças históricas parecem demorar uma eternidade para acontecer, mas são apenas um lapso no tempo, apenas algumas gerações, assim como a Revolução Francesa, ideias como liberdade de opinião e de expressão, direito de voto, demoram para se consolidar, a noção de democracia e de liberdade, hoje são realidade, não em todos os cantos do mundo, mas na maioria das nações. Como Bobbio penso que o desafio da humanidade é conciliar liberdade com igualdade, aquilo que os socialistas revolucionários não conseguiram consolidar. Para mim, a Revolução Russa foi tão importante quanto a Revolução Francesa, que também teve o seu período de barbárie, cortando cabeças na guilhotina de montão. Ali se conseguiu atingir um certo nível de igualdade, oferecer ao povo seguridade social, ao custo da liberdade individual. Um dia o homem vai conseguir liberdade com igualdade social. Oxalá.

Total de visualizações de página