sexta-feira, 3 de junho de 2011

O show de Alice Cooper

Fomos, eu, Pietro, Enrico (meus filhos) e Lucas, o popular Coisinha (amigo do Enrico), ver o show do Alice Cooper, que continua fazendo um "somzaço" beirando aos 70 anos de idade.
Em 1970, auge do sucesso de Alice, eu tinha 15 anos, idade do meu filho caçula. A música mais "bombada" era "School's Out", espécie de hino adolescente da época, que ainda ecoa no coração da moçada que curte rock'roll.
Não esperava encontrar tanta gente no show. Foi uma verdadeira epopéia chegar ao Credicard Hall. Sem senso de direção algum me perdi várias vezes antes de chegar. Consegui me perder com ou graças ao "GPS". Como estava inseguro da rota mais curta apelei para o aparelho que me levou quase para fora da cidade. Só encontrei o destino, depois de dar um safanão no aparelho e decidir seguir por mim mesmo.
Chegamos em cima da hora e os estacionamentos estavam lotados. Afinal, tudo deu certo. Foi um verdadeiro show com as encenações já conhecidas e com um som de altíssima qualidade. Destaque para o baterista Eric Singer, entre outros músicos de ótima qualidade.
Assistimos da pista e como sempre acontece, havia uma verdadeira montanha em nossa frente. Um cara de mais de dois metros de altura por dois de largura, que ficou por uns 15 minutos dançando como um ensandecido, até se tocar, como por milagre, que do alto de sua estatura poderia ver melhor que qualquer um.Um sujeito bastante consciente, por sinal, que para não atrapalhar mais foi se postar em outro local.
Também havia dois outros rapazes atrás de nós. Um deles contava ao outro, deficiente visual, todos os lances que aconteciam no palco.
Alice contentou a todos tocando praticamente todos os seus hits e terminando o show com um bis de duas músicas, uma delas uma "Fire" versão de Jimi Hendrix, let me stand next to your fire, e "School's Out".









Total de visualizações de página